Nanopartículas

image_pdfSave as PDFimage_printPrint this page

Nanopartículas são pequenos objetos, tais como cristais ou pós ultra finos. Os medicamentos com nanopartículas são utilizados mais frequentemente para ajudar os medicamentos a atingir células e tecidos que de outra forma não poderiam ser alcançados. Devido ao seu reduzido tamanho, as nanopartículas atuam deslocando-se facilmente ao longo do organismo e movendo-se para pequenos espaços entre os vasos sanguíneos e para os seus tecidos alvo.

As nanopartículas também podem ajudar a proteger os medicamentos que são facilmente degradados pelo organismo. Ligando estes medicamentos a partículas sólidas (tais como ouro) ou encapsulando-os em lipossomas (gorduras), as nanopartículas ajudam estes medicamentos a alcançar os seus tecidos alvo. Utilizando materiais biocompatíveis, tais como lipossomas e albumina, as nanopartículas podem reduzir os efeitos secundários associados a alguns sistemas químicos de libertação de medicamentos, por exemplo, em alguns tratamentos contra o cancro (quimioterapia).

Também podem controlar a libertação orientada de medicamentos em locais específicos do organismo e, deste modo, aumentar a eficiência e reduzir os efeitos secundários. Também são utilizadas na imagiologia médica como por exemplo nos raios-x.

As nanopartículas apenas estão disponíveis como formulações intravenosas, o que significa que têm que ser injetadas na corrente sanguínea.

Na UE, a nanotecnologia recebeu um investimento considerável e é o foco de discussão social e ética.

Outros recursos

A2-1.06.8-V1.2

Informações do artigo

Categorias:

Etiquetas:,
Voltar ao início

Pesquisar na Caixa de Ferramentas